Blog do Leônidas











sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Luciano Leitoa amplia vantagem sobre Alexandre Almeida em nova pesquisa Escutec

Em nova pesquisa divulgada sobre a preferência do eleitorado timonense para prefeito da cidade, o Instituto Escutec aferiu que a preferência do eleitorado pela candidatura de reeleição do prefeito Luciano Leitoa aumentou em relação ao seu adversário Alexandre Almeida. No levantamento feito no dia  30 e 31 de agosto último a vantagem de Luciano Leitoa era de 11,6 pontos percentuais na frente de Alexandre. Já na pesquisa divulgada hoje a vantagem aumentou para 18.9 em favor de Luciano.
Veja a matéria completa abaixo sobre a pesquisa divulgada hoje pelo jornal O Estado do Maranhão:
O Estado – O instituto Escutec fez o levantamento sobre o cenário eleitoral em Timon. Pelos números, se a eleição fosse hoje seria reeleito o prefeito Luciano Leitoa com mais de 50% dos votos.
No cenário estimulado – quando os entrevistados são apresentados os nomes dos candidatos – Luciano Leitoa (PSB), candidato a reeleição, aparece com 52,1% dos votos dos entrevistados. Seu adversário, Alexandre Almeida (PSD), vem com 33,2%. A opção nenhum dos candidatos somou 6,2% e não sabe ou não respondeu, 8,5%.
Também foi abordada na pesquisa a rejeição dos dois candidatos. Segundo a Escutec, Alexandre Almeida tem a maior rejeição com 49,4%. Luciano Leitoa, 26,7%. Nenhum dos candidatos, 5,5% e não sabe ou não respondeu, 18,5%.
A pesquisa foi encomendada pelo jornal O Estado e está registrada na Justiça Eleitoral com o protocolo MA 01410/2016. Foram ouvidas 401 pessoas nos dias 13 e14 deste mês. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.
Fonte: Elias Lacerda
http://www.maranhaoempauta.com/

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Pesquisa Data 5: Raimundo Silveira 43,70%. Dr Davi 27,70%


Registrada sob o número MA-04686/2016, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e realizada nos dias 18 e 19 desse mês de setembro de 2016, nas zonas rural e urbana de Parnarama, no Maranhão, uma pesquisa eleitoral, realizada pelo Instituto Data 5, constatou que o candidato a prefeito Raimundo Silveira lidera com larga vantagem a disputa para a prefeitura do município.
Raimundo Silveira aparece com 43,70% das intenções de votos. Dr Davi, em segunda colocação, com 27,70%. O terceiro colocado é José Henrique com 16,30%. Toinho da Farmácia com 1,7% e Sarney com 1%. Nenhum, não sabe e em branco aparecem com 9,60%. A margem de erro da pesquisa é de 5%.
A mesma pesquisa constatou que 61% dos entrevistados estão insatisfeitos com a atual gestão da Prefeitura Municipal de Parnarama, que tem a frente o prefeito Davi Carvalho. Ele tenta a reeleição. Somente 25,6% aprova e 13,4% não sabem ou não opinaram.
Os números da pesquisa do Data 5 mostram ainda uma rejeição de 44,70% ao nome do Dr Davi, quando perguntado, estimuladamente, “em qual desses nomes você não vota de forma alguma?”. Raimundo Silveira aparece com 16,7% de rejeição. Sarney com 9%, Toinho da Farmácia com 4,3% e José Henrique com 4%. Ainda no quesito rejeição, outros 20,7% não sabem.
Os pesquisadores entrevistaram 300 pessoas nas zonas urbana (bairros: Centro, Agrovema, São Francisco, Redenção, Chapadão e Terra Nova) e rural (povoados: Brejinho do Ismael, Canto Bom, Taboca, Paiol do Centro, Lagoa do Caminho, Patos, Cajueiro, Olho D’Água do Nouga, Feitoria, Cocalinho, Coités e Brejo do São Félix).
E PARA VEREADOR
A pesquisa também perguntou, espontaneamente, a intenção de votos para vereador em Parnarama:
Iane: 39 votos / 13%
Bruna: 17 votos / 5,6%
Chagas: 13 votos / 4,3%
Professor Raimundo: 11 votos / 3,6%
Jose Washington: 10 votos / 3,3%
Amilton: 10 votos / 3,3%
Antonio José: 09 votos / 3%
Valter Suero : 07 votos / 2,3%
Joilson: 07 votos / 2,3%
Cesar Augusto: 06 votos / 2%
Joselândia: 06 votos / 2%
João Paulo: 06 votos / 2%
Dr. Geronimo: 06 votos / 2%
Elias Cardoso : 05 votos / 1,6%
Neneca: 05 votos / 1,6%
Dra. Aline: 04 votos / 1,3%
João Neto: 04 votos / 1,3%
Luiz Ribeiro: 04 votos / 1,3%
Reginaldo: 04 votos / 1,3%
Ricardo Barbosa: 04 votos / 1,3%
Joalmir: 03 votos / 1%
Mauricio: 03 votos / 1%
João Paulo: 02 votos / 0,6%
Alex: 02 votos / 0,6%
Maria Francisca: 02 votos / 0,6%
Ana Paula: 02 votos / 0,6%
Osmar: 02 votos / 0,6%
Galo: 02 votos / 0,6%
Ceiça do diga: 02 votos / 0,6%
Ceiça do Tuari: 02 votos / 0,6%
Chico Lourenço: 01 voto / 0,3%
Márcia Silveira: 01 voto / 0,3%
Anjinho: 01 voto / 0,3%
Paulo Rodrigues: 01 voto / 0,3%
Miguel: 01 votos / 0,3%
Tim: 01 voto / 0,3%
Kelly: 01 voto / 0,3%
Senhorzinho: 01 voto / 0,3%
Filho: 01 voto / 0,3%
Cícero do Frango: 01 voto / 0,3%
Luzinete: 01 voto / 0,3%
Carlos Vitor: 01 votos / 0,3%
Não sabe: 80 votos / 26,6%
FONTE: http://www.portalai5.com.br/


terça-feira, 20 de setembro de 2016

Greve dos bancários completa duas semanas e fecha mais de 13 mil agências em todo o País



Do R7
A greve nacional dos bancários completa duas semanas nesta terça-feira (20). De acordo com a categoria, 13.071 agências em todo o País tiveram as atividades paralisadas, o que representa 56% do total de agências do Brasil — um recorde histórico, segundo a Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro). 
Roberto von der Osten, presidente da Contraf-CUT e um dos coordenadores do Comando Nacional dos Bancários, criticou a retirada das faixas e dos cartazes pelos bancos.
— Pretendiam fazer com que a população acreditasse que a nossa greve fracassou. Somado a isso, pressionaram e constrangeram para que alguns trabalhadores furassem a greve. Os bancários e bancárias continuaram firmes e cada vez mais indignados com o desrespeito e com a truculência destas ações antissindicais dos bancos.
Entre as reivindicações está o pedido de reajuste salarial — reposição da inflação (9,62%) mais 5% de aumento real; vale alimentação e vale refeição no valor de R$ 880 ao mês cada; melhores condições de trabalho; Plano de Cargos, Carreiras e Salários para todos os bancários; auxílio-educação entre outras.
FONTE: http://noticias.r7.com/


segunda-feira, 19 de setembro de 2016

O MAIOR COMICIO NA ZONA RURAL DA HISTORIA DE PARNARAMA.


O candidato á prefeito Raimundo Silveira do "PROS 90" e o vice Gilson Moura realizaram no ultimo domingo 18 de setembro o maior Comício na zona rural da historia de Parnarama-ma; o mesmo aconteceu no povoado Brejo de são Félix que fica a cerca de 65 km da sede do município.
Durante todo o dia o candidato a prefeito junto com sua comitiva realizaram visitas as famílias das localidades vizinhas e tam bem no povoado Brejo de são Félix; logo no começo da tarde uma multidão passou a acompanhar a comitiva da vitória com pessoas que acreditam na força do povo e no desejo da construção de uma nova historia para Parnarama.
Já a noite teve inicio o grande comício com mais de 5.ooo (cinco mil pessoas) aproximadamente.
O candidato a vereador da região Regis "DEMOCRATAS" falou que Raimundo Silveira além de ser querido é admirado por todos por ser um homem preparado para levar Parnarama no caminho certo









FONTE :  Thiago Barros
PREFEITO ASSINA O PLANO MUNICIPAL DE CARGOS, CAREIRAS E SALÁRIOS DO MUNICÍPIO DE PARNARAMA



CONQUISTA DE TODA A EQUIPE DO SINPROSEMP 





FOTOGRAFO : ANTONIO BARBOSA 

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Nova reunião termina sem acordo, e greve dos bancários continua


Do G1, em São Paulo

Em seu 10º dia, paralisação fechou mais de 12 mil agências.
Reunião de negociação foi realizada nesta quinta-feira.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) informou que, após nova reunião realizada nesta quinta-feira (15) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), não houve acordo sobre o reajuste reivindicado pelos bancários, e orientou a continuidade da greve.
Segundo a Contraf, os bancos reapresentaram a proposta que já haviam feito na reunião de terça-feira (13), que terminou sem acordo. Na sexta-feira (9), os bancários já haviam recusado a outra proposta da Fenaban. A greve teve início na terça-feira passada (6).
Em seu 10º dia, a greve dos bancários fechou mais da metade das agências do país, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). De acordo com balanço do comando dos grevistas, 12.608 agências e 49 centros administrativos tiveram as atividades paralisadas.
A Fenaban não tem divulgado balanços diários de agências fechadas, mas informa que a população tem à sua disposição uma série de canais alternativos para realizar transações financeiras.
De acordo com o Banco Central, o país tem 22.676 agências bancárias instaladas, segundo último balanço do Banco Central.
Reivindicações
A categoria havia rejeitado a primeira proposta da Fenaban - de reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A proposta seguinte, também rejeitada, foi de reajuste de 7% no salário, PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, além de abono de R$ 3,3 mil.

Os sindicatos alegam que a oferta não cobre a inflação do período e representa uma perda de 2,39% para o bolso de cada bancário. Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial - no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.
A Fenaban disse em nota que "o modelo de aumento composto por abono e reajuste sobre o salário é o mais adequado para o atual momento de transição na economia brasileira, de inflação alta para uma inflação mais baixa".
Cerca de 89% das agências da Paraíba aderiram à greve dos bancários, diz sindicato (Foto: André Resende/G1)Cerca de 89% das agências da Paraíba aderiram à greve dos bancários, segundo sindicato (Foto: André Resende/G1)
Atendimento
Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lembra que os clientes podem usar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.

Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados), é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.
Greve passada
A última paralisação dos bancários ocorreu em outubro do ano passado e teve duração de 21 dias, com agências de bancos públicos e privados fechadas em 24 estados e do Distrito Federal. Na ocasião, a Fenaban propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria.

FONTE: http://g1.globo.com/

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Greve dos bancários fecha mais de 12 mil agências no país, diz sindicato

Cerca de 89% das agências da Paraíba aderiram à greve dos bancários, diz sindicato (Foto: André Resende/G1)
Cerca de 89% das agências da Paraíba aderiram à greve dos bancários, segundo sindicato (Foto: André Resende/G1)

Do G1, em São Paulo

No 9º dia de paralisação, mais de 50% das agências ficaram fechadas.
Nova rodada de negociação foi marcada para quinta-feira (15).


Em seu 9º dia, a greve dos bancários fechou mais da metade das agências do país, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). De acordo com balanço do comando dos grevistas, 12.386 agências e 46 centros administrativos tiveram as atividades paralisadas nesta quarta-feira (14).
O número representa 53% de todas as agências do Brasil, segundo o sindicato.
Uma nova rodada de negociação foi marcada para esta quinta-feira (15), em São Paulo, após reunião na terça-feira (13) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) terminar sem acordo.
A greve teve início na terça-feira passada (6). Na sexta-feira (9), os bancários decidiram manter a greve iniciada no dia 6, rejeitando a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste de 7%.
A Fenaban não tem divulgado balanços diários de agências fechadas, mas informa que a população tem à sua disposição uma série de canais alternativos para realizar transações financeiras.
De acordo com o Banco Central, o país tem 22.676 agências bancárias instaladas, segundo último balanço do Banco Central.
Reivindicações
A categoria havia rejeitado a primeira proposta da Fenaban - de reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A proposta seguinte, também rejeitada, foi de reajuste de 7% no salário, PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, além de abono de R$ 3,3 mil.

Os sindicatos alegam que a oferta não cobre a inflação do período e representa uma perda de 2,39% para o bolso de cada bancário. Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial - no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.
A Fenaban disse em nota que "o modelo de aumento composto por abono e reajuste sobre o salário é o mais adequado para o atual momento de transição na economia brasileira, de inflação alta para uma inflação mais baixa".
Atendimento
Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lembra que os clientes podem usar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.

Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados), é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.
Greve passada
A última paralisação dos bancários ocorreu em outubro do ano passado e teve duração de 21 dias, com agências de bancos públicos e privados fechadas em 24 estados e do Distrito Federal. Na ocasião, a Fenaban propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria.

fonte> http://g1.globo.com/